Cientistas afirmam que a religião pode ser uma infecção por bactérias

80

Cientistas afirmam que a religião pode ser uma infecção por bactérias, fungos e vírus controladores de mentes.

dnaNos últimos anos, os biólogos descobriram muitos exemplos de parasitas que não só utilizam o organismo hospedeiro para o próprio crescimento, mas também para controlar diretamente o seu comportamento. Por exemplo, a bactéria Wolbachia faz com que os insetos se proliferem descontroladamente e assim, se espalharem cada vez mais. As larvas de moscas em abelhas Gorbatok, as forçam a saírem das colmeias e agirem como zumbies.

wolbachia_drosophila

Outro exemplo são os cogumelos Ophiocordyceps um gênero curioso que aprendeu a controlar diretamente o comportamento das formigas, levando-os a morrer em um ponto bem definido no formigueiro para infectar o maior número de novas vítimas quanto possível.

cordyceps-e-ophiocordyceps
cogumelos Ophiocordyceps controlam e matam as formigas em pontos estratégicos nos ninhos.

O parasita mais comum de gatos domésticos, que transmite a Toxoplasmose unicelular, vai ainda mais longe, ele pode mudar o comportamento de um mamífero infectado por ela, causando mudanças irreversíveis no cérebro e faz com que os infectados tomem atitudes suicidas e irracionais.

toxoplasma
toxoplasma transforma o medo de ratos por gatos em atação sexual

Alexandre e Yuri Panchin, biólogos da Universidade do Estado de Moscou e um colega Alexander Tuzikov afirmaram que parte ou a totalidade das religiões que existem no mundo de hoje podem ser um “produto” das atividades de micróbios com características semelhantes aos citados acima, que vivem em nossos intestinos, ou outras partes do corpo.
Em primeiro lugar, não há dúvida de que a microflora intestinal controla o nosso apetite, tendência para a obesidade e até mesmo as preferências alimentares, afetando as células nervosas do intestino e cérebro, e pode produzir moléculas de sinalização do cérebro e várias proteínas que podem afetar diretamente o humor e comportamento.

Em segundo lugar, os historiadores modernos e evolucionistas acreditam que a religião e outras formas de crença se espalharam no passado, aproximadamente no mesmo período em que epidemias de vários micróbios e vírus estavam assolando as pessoas.
De acordo com biólogos russos, não há nenhuma razão para acreditar que este processo não pode ocorrer no espaço biológico, através de uma espécie de “biomemov”, no papel de bactérias que podem atuar Midi-chlorians no famoso “Star Wars”, dando os poderes milagrosos de Jedi e Sith.

Onde se escondem estes Midi-chlorians religiosa? Tal como os autores afirmam, estes podem estar localizados no intestino, e no cérebro humano, tal como Toxoplasma, capaz de penetrar a barreira entre o sistema circulatório e o cérebro.
Como esses Midi-chlorians podem ser encontrados? No momento, tal como foi reconhecido pelos biólogos russos para testar esta hipótese é difícil, porque a nossa microflora contém um grande número de bactérias e vírus, cujo número total é de 10 vezes o número de células do nosso corpo, e o número de espécies das quais mais de algumas centenas de milhares.

Hoje, os biólogos estão estudando-os em uma forma muito esquemática, mas em um futuro próximo, Panchin e Tuzikov, iniciaram um projeto visando a criação de novas tecnologias de sequenciamento, o que ajudará a descobrir o papel de cada micróbio em nosso corpo e ver se algum deles é um tipo de “vendedor ambulante de religião”. Além disso, se esta hipótese é correta, então a utilização de antibióticos será diretamente ligada a cura para o fanatismo religioso e uma diminuição do numero de religiões no mundo.

Comentários

comentários

COMPARTILHAR
Kleber Pereira

Cara simples, que vive a vida dia após dia aprendendo tudo o que pode sobre todas as coisas possíveis! Curiosidades são uma das minhas maiores paixões, junto com meu filho e pudim de leite.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA